2 de nov de 2011

Sexo com segurança

À base de meus pensamentos transgredidos,
A apetência de arrumar um arrimo,
Faz dela, a auxiliar, culpada.

Infame por não desejar contido,
Solícito por receber como marido,
Faz dele, o protagonista, pervertido.

Copulam suas diferenças físicas,
Prevendo, após cada crepúsculo,
Mais bandos de paus e bocetas.

Ensaiando uma ode a Baco,
Ele, para ela, faz troça,
Enrijecido o mastro.

Locupletando-lhe a boca,
Súbito, vaza-lhe o líquido,
Rubro, picante, corado.

Acena-lhe um adeus moça,
Ingênua, ausente no descaso,
Pernas, completo embaraço.

Dúvida que surge logo:
Ela aceitará outro?
___ Talvez, mas só vai quando eu provo.

Nele houve firmeza:
Sexo com segurança, dia a dia,
Segurança de carro-forte
De loja, de obra, de academia.

Nenhum comentário:

Postar um comentário