19 de out de 2011

Um poema

Há dias em que você ouve a mesma música por horas...
Eu parei um poema por você!
Aguardei mais um filme sair no DVD,
Deixei de comer gorduras...
Fumei menos e lavei-me mais.


Hoje, ouvindo músicas lindas e tristes de amor,
Parei para pensar:
No fim de cada noite,
Eu sabia que teria ainda sorrisos para contemplar o dia.
No rolar da cama,
Tinha a garantia de me encostar a seu corpo,
Ainda que ele se virasse fortuito.
Eu via como são belas as pedras,
Ainda que quando atiradas aos bichos.
E via uma graça infinita,
Nas suas poucas anedotas.

Suas misturas me falavam de desordem.
Suas coisas, infantis e coloridas, de amor.
Eu queria tanto germinar
E fui mutilado ainda semente.

Ah! Liberdade!
Que triste fim para essa cena.
Trai-me mais uma vez o coração.
E no remexer da palavra,
Que teima!
Cai,
na branca folha,
um poema.

2 comentários:

  1. Ai amigo, este é um dos meus preferidos!

    ResponderExcluir
  2. RAPAZ, SEU BLOG É FANTÁSTICO. POEMAS SÓBRIOS E MADUROS. VERDADEIRAS POESIAS CONTEMPORÂNEAS; PARABÉNS

    ResponderExcluir