31 de out de 2011

Obsoneto

Enxergo tribunais da Inquisição
e fornos crematórios em toda parte.
Em salas positivas, vejo o não
à Crítica, à Estética, à Arte.

Homem de veste angelical
de passados terrenos escondidos
e de bolsos cheios do vil metal
trazidos para si, através dos ritos.

Enquanto ovelhas berram a canção,
excomungando o maldito, que num canto late.
Exauridos de qualquer forma de razão,

Gritam poetas, palavras-boceta-pau
Que Ciência? Política? Mitos?
Há na mente do passional?

2 comentários:

  1. Perfeito!
    A escolha do soneto, do título, as construções, metáforas e analogias... Estou sem palavras!

    ResponderExcluir
  2. Brother... Faço das palavras da Gabi as minhas... Show!

    ResponderExcluir